Tigela é tudo de bowl

Por Vanessa Henriques

Promoção: bowl a R$39,99, dizia o anúncio indesejado num despretensioso rolar de dedos no Instagram. Nas lojas: bowls. No programa de receita: bowls. No armário: bowls.

Todo dia é um 7×1 diferente, diria Sérgio Rodrigues. Antonio Prata diria que não é sobre o utensílio em si, é sobre a reflexão. E eu que não sou lá tão famosa e versada na arte das letras tenho, infelizmente, mais uma contribuição a fazer neste debate sobre expressões roubadas da gringa.

Vasilha, recipiente, cumbuca — e toda uma infinidade de combinações graciosas com o diminutivo tão característico do nosso português (potinho, tigelinha) — me vêm à cabeça. Parece um crime achar que uma palavra com uma improvável combinação de ‘w’ e ‘l’ poderia colar nesse português cheio de vogais. Colou. O bowl é fato consumado.

Devo dar o braço a torcer que eles foram espertos nessa escolha. Pode-se falar ‘bou’ e passar sem constrangimentos pelo termo em inglês. O delivery, muito mais espinhoso, demorou mas colou. Imagina se essa quase onomatopeia não iria conseguir?

Tudo começa com uma mudança de mentalidade — ou mindset, pra você que é proprietário de um bowl na sua american kitchen. Por anos, a referência culinária do brasileiro foi o livro da dona Benta e uma infinidade de programas vespertinos com alguma culinarista atrás de um balcão. De preferência, a Palmirinha.

Eis que o país foi invadido por uma enxurrada de reality shows culinários: o melhor confeiteiro, o melhor chef, o melhor cozinheiro amador, o melhor churrasqueiro, a melhor criança cozinheira e uma infinidade de variações. Ao invés da bancada antiquada e um boneco de espuma, vemos bancadas em aço inox, gôndolas high-tech, geladeiras que gelam rápido, fornos estupidamente quentes e até nitrogênio líquido.

Estava preparado o terreno para o bowl. Não há espaço para uma tigela numa cozinha com essa sofisticação. E, logo, não haveria espaço também na sua casa. Ou na casa da sua mãe. Ou nas lojas Americanas. Ou no mercadinho da esquina.

O bowl não nasceu de uma tradução ruim ou caracteriza um utensílio jamais visto nos lares brasileiros, que precisaria ser nomeado desta forma. Ele é só uma moda de meia tigela.

Anúncios

2 thoughts on “Tigela é tudo de bowl

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s